Sara Saudkova





Um comentário:

Saramar disse...

O corpo suspenso no desejo e na improvável liberdade do beco, palco, leito, chão...

Quem não quer essa perdição?