Fernando Pessoa





”Sou daquelas almas que as mulheres dizem que amam,
e nunca reconhecem quando encontram,
daquelas que, se elas as reconhecessem,
mesmo assim não as reconheceriam.
Sofro a delicadeza dos meus sentimentos com uma atenção desdenhosa.
Tenho todas as qualidades,pelas quais são admirados os poeta românticos,
mesmo aquela falta dessas qualidades,
pela qual se é realmente poeta romântico.
Encontro-me descrito (em parte)
em vários romances como protagonista de vários enredos;
mas o essencial da minha vida, como da minha alma, é não ser nunca protagonista.”

“O cais, a tarde, a maresia entram todos, e entram juntos,
na composição da minha angústia.
As flautas dos pastores impossíveis não são mais suaves
que o não haver aqui flautas e isso lembrar-mas.”



Imagem: Dan Page

3 comentários:

darlene disse...

Belo poema essa parte calou fundo:
"Sofro a delicadeza dos meus sentimentos com uma atenção desdenhosa."

Mar Arável disse...

Sempre belo

Mimi disse...

eu reconheceria de longe, só pelo perfume...

Doce Léo, um beijo da sumida amiga sua