Tanussi Cardoso




As Mortes

quando o primeiro amor morreu
eu disse: morri

quando meu pai se foi
coração descontrolado
eu disse: morri

quando as irmãs mortas
a tia morta
eu disse: morri

depois, a avó do Norte
os amigos da sorte
os primos perdidos
o pequinês, o siamês
morri, morri

estou vivo
a poesia pulsa
a natureza explode
o amor me beija na boca
um Deus insiste que sim

sei não
acho que só vou
morrer
depois de mim




5 comentários:

Sônia disse...

E enquanto Deus insistir que sim, morreremos muitas vezes ainda.

Léo Scartezzine disse...

Sua seleção de poemas está excelente Sonia. Esse, particularmente, é muito esclarecedor e me trouxe mais coragem para enfrentar perdas.

Beijos pela colaboração.

Sônia disse...

Que bom Léo, fico feliz.


Beijooooo...

darlene disse...

Muito triste....

Mar Arável disse...

Não há morte

nem princípio