Fernando Costa




“Victoria Secret”

O vermelho que cobriu a tez,
Do teu canto de amar que em mim ardia.
No dia que o céu virou inferno,
Enquanto o mundo sumia.

Endiabrados corpos se beijaram.
Umedecemos juntos a intimidade.
Ninguém foi capaz de gozar primeiro,
O espelho sabe.

E a secura que me vem à boca.
Louca de paixão;
Entorna a proa.

Cheia de desejos;
Anda à toa.
Não quer saber de fingir!







(Fernando Costa)

8 comentários:

darlene disse...

Amei o poema....pra lá de bom.

Sônia disse...

Só uma observação:
A mão do meio, é de um homem?...
Ele precisa cortar as unhas! Que nojo...KKKK!!!!

Léo Scartezzine disse...

Uai? Mulheres não tem longas unhas? São nojentas também? Uma foto dessas e vc olha a unha do cara Sonia?

sandra disse...

Ola
adorei o poema ,mas tenho de concorda com a sonia
na Haver homens de unhas longas!!!!!

Sônia disse...

Viu Léo??? Hã? KKKK!

Anônimo disse...

pois é Sonia, pra quem nao gosta de homem qualquer unhazinha sem cortar gera nojo... rárarará

Sônia disse...

É mesmo "Anônimo"???
Posso te garantir que não é meu caso, viu? rarararara!!
E deixa de ser ridículo(a) e não fica se escondendo! "anônimo"...ora essa...

darlene disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk