Valdelice Pinheiro





EU QUERIA FICAR EM TUA MEMÓRIA

Eu queria ficar na tua memória, não sei bem
como, não sei porque, mas queria ficar.
Ficar assim, numa presença indefinida, como
o aroma de uma rosa...

Queria ficar na tua memória, mas tão serena,
tão imperceptivelmente que não chegasse sequer
a perturbar a quietude branca dos teus sonhos...

Queria ficar. Andar na tua recordação
tão levemente, como uma folha seca caindo
devagar sobre a água do rio...

Queria ficar na tua memória de um modo
estranho e suave, meu ser desfeito em música
incorpórea e eterna sublimando-se em teu
coração num momento de Angelus...

Queria ficar devagarinho, sem que te desses
conta, quase sem quebrar tua solidão
que também é minha.

Ficar assim, como um impreciso
convite ao sonho, numa recordação distante,
feita de lua, de rosas e de versos...




4 comentários:

Mag disse...

E não é que estás?

darlene disse...

Olá Mag,quanto tempo. Há acontecimentos que são para sempre, não é?

san oliveira disse...

Oi Léo , lindo este poema
amei!!!!!!!!!

Mag disse...

É mesmo, Darlene....