Leilla Mícolis





A Seco

Tem coisas que a gente só diz de porre,
se não o outro corre;
mas passada a bebedeira,
a gente acha que fez besteira,
não devia ter falado,
que se expôs adoidado,
à toa e foi tolice.
Finge-se então que se esquece o que disse,
culpa-se a carência, a demência, a embriaguez,
responsáveis por tamanha estupidez.
E é aceitando este estranho cabedal
que quando se volta ao "estado normal",
cada vez mais sós, na defensiva,
corroídos morremos de cirrose afetiva.


4 comentários:

darlene disse...

Pois não é que é certo.

Sônia disse...

E tem coisas que a gente só diz de porre, porque sóbrio não tem coragem!

Mag disse...

E eu que nunca fico de porre!!!! ;)

Mar Arável disse...

Ergo a minha taça