Margarida Monarca





"Saboreia-me a pele,
detém-te,
assim,
calado,
no fecho do meu vestido,
corre-me os dedos pelas costas,
desliza a seda pelo meu corpo
e os teus lábios pelo meu querer,
encontra-me assim,
quieta,
em sobressalto,
esperando-te,
sente-me o âmago,
suga-me o desejo,
segura-me contra ti,
derrete-me nessa tua posse
urgente,
ardente,
ata-me,
une-nos nesse abraço do corpo,
leva-me ao topo de ti
e deixa-me morrer assim,
empalada em ti..."



4 comentários:

Léo Scartezzine disse...

Poetas, eles nascem prontos e já saem falando coisas bonitas, lindas por aí. Vejam Margarida.

darlene disse...

É de dar gosto, Margarida sempre me cativou com seus escritos. que venham mais e mais

Mag disse...

Obrigado, meus amores :)
Tentarei escrever sempre mais e mais...

Jornalista Desempregada disse...

Que imagens e quanta música. Yes! Encantada e no desejo de voltar mais e mais vezes, sempre.

Parabéns! Um universo de sensibilidade mesmo. Que amém, não decaia em tristeza aos que leem. hehe

Em tempo, se quiser dar uma olhada no meu humilde ... Estou em http://portal80brasilia.blogspot.com/