Isabel





Me serviram um café bem forte

depois de nao querer a morte

nas mãos água cristalina

jorrando da fonte,

fechei as portas dos bares

e proibi que me vendessem

azar ou sorte.



Imagem: Seveso

5 comentários:

Anônimo disse...

hahahaha, carácoles, q show, esse poema é meu. sr. editor pode me dizer onde encontrou? as vezes eu fazia uns blogs e escrevia uns poeminhas, preciso reve-los, nem lembrava mais desse. por favore, to falando sério.
se puder me responder, vejo se te envio meu email. obrigada :)

*algo tava me dizendo pra vir aki hj!!

Isabel

darlene disse...

Que imagem mais estranha...

Anônimo disse...

e o que nao é estranho por aqui...

darlene disse...

A figura, vc não notou?

Anônimo disse...

notei sim, muito bonita! aff