Luciane




Frágil Densidade


Explorar-se...
Cortar-se ao meio:
parindo sementes.

Despir-se sem medo,
a essência não mente.
Tudo é mais cedo por dentro.

Embriagar-se...
Beber-se em soluços.
Quebrar-se em taças:
Licores e sustos.


Dominar-se, gritando
em equilíbrios...
Fingir-se na doçura de
espasmos híbridos...

Arrancar-se em cárceres,
Prover-se de apelos.
Volátil arrepio de dedos,
denunciando meus segredos.




Nenhum comentário: