Lilian Maial




Comigo é Assim

Por trás desse desdém,
dessa mania de me deixar na esquina,
tem muita coisa mal explicada.
É bem você quem não vale nada!
E eu aqui, me sentindo culpada?
Não, comigo não!
Comigo é assim:
dou o que recebo,
sou o que concebo,
sem barganha ou fiado.
Escreveu, não leu, o pau comeu!
E em minha vida, quem mata a cobra sou eu.
Meu papo já está cheio de grão
E ainda não vi a cor do milho.
Antes nunca, do que tarde demais.
Chega!
Não mais esperas,
condições,
imposições.
Sofrer, eu sofro, e daí?
Aceitar o inaceitável por migalha?
Fingir que não lambo o fio da navalha?
Tenho mais é que gargalhar da pretensão.
Foi-se o tempo do aceno e do perdão.
Agora , comigo é assim:
se não quer compartilhar,
respeitar o meu lugar,
antes só, do que sem mim.



Imagem: Françoise Nelly

Nenhum comentário: