Álvares de Azevedo





Por Mim?

Teus negros* olhos uma vez fitando
Senti que luz mais branda os acendia,
Pálida de langor, eu vi-te olhando —
Mulher do meu amor, meu serafim,
Esse amor que em teus olhos refletia…
Talvez! — era por mim?

Pendeste, suspirando, a face pura,
Morreu nos lábios teus um ai perdido…
Tão ébrio de paixão e de ventura!
Mulher de meu amor, meu serafim,
Por quem era o suspiro amortecido?
Suspirava por mim?

Mas eu… sei!… ai de mim? Eu vi na dança
Um olhar que em teus olhos se fitava…
Ouvi outro suspiro… d’esperança!
Mulher do meu amor, meu serafim,
Teu olhar, teu suspiro que matava…
Oh! não eram por mim!

*Ou azuis,verdes..rs (Léo)


Imagem:Oleg Bigorin



Um comentário:

darlene disse...

Belo poema, mais a imagem está simplesmente divina.

Esperto, né? Não deixou nem um par de belos olhos de fora...rs Leo...Leo