Léo Scartezzine








"Janelas sem esperanças"

11 comentários:

darlene disse...

Afinal ela é a última que morre.

Sonia disse...

Ai que triste Léo...não gostei da imagem. Você está triste?
Fica não...

Léo Scartezzine disse...

Well, triste eu creio que sempre fui - confesso -, mas a janela é uma foto (de várias) que fiz de Goiânia - uma Goiânia que ninguém quer saber mais.
É, eu creio que estou mais triste do que o normal..rs.

Sonia disse...

Hum...então, agora você está se aventurando como fotógrafo??rs...que homem fascinante é você Léo!

darlene disse...

Então eu acertei...rs..
Sonia nosso Leo é versátil...

Sampa tb tem um lado belíssimo,creio que o termo é arquitetura, não manjo muito, mas completamente abandonado. Imagens semelhantes na Celso Garcia e suas travessas são comum.
O centro velho , que só chama atenção pelas drogas tb tem um charme impar, mas pra conseguir ver tem que ignorar muita coisa

Shirley Carreira disse...

Olá, Léo. Estive em Goiânia este ano. Conheci pouco da cidade, mas gostei bastante.
Gostei da foto também.No entanto, não vejo nela a falta de esperança. Vejo a memória, o registro do passado. Infelizmente, vivemos em uma época em que as pessoas parecem desejar apagar o passado, as memórias. Mas se há janelas, há esperança, pois a janela traz em si uma grande metáfora: a capacidade de olhar o mundo exterior. Quem sabe hoje, através da sua postagem,
haja olhares atraídos por essa janela, pelas histórias que ela tem para contar? Abraços.

darlene disse...

Bem colocado Shirley.

Léo Scartezzine disse...

Oi Shirley,

As fotos que fiz (amadoras) haveria de ser uma viagem nostálgica ao passado (e as histórias). A nostalgia não é exatamente um sentimento alegre mas é muito inspirador. O nome que dei a foto é afeto ao prédio inteiramente abandonado há alguns anos assim, decepado, na margem da avenida mais importante de Goiânia. É como se para ele (o prédio e suas histórias) já não houvessem esperanças. Gostei da metáfora e da leitura otimista que voce deu a imagem. Obrigado pela visita e volte mais vezes. Sempre.

Léo Scartezzine disse...

Soninha? Sou muito comum, mais do que os teus olhos me veem, mas vou postar mais daquilo que vejo. Beijos.

Léo Scartezzine disse...

Aí está as tres fotos do prédio sem esperanças. Deve estar alí há mais de cinquenta anos e, inteiramente abandonado, espera em escombros o seu fim. Na parte frontal, taparam suas portas com tijolos para que ficasse inteiramente mudo. As janelas abertas (e sem esperanças) abre-se como a boca do morto na avenida frenética e indiferente da grande cidade.

darlene disse...

Gostei de todas as fotos, Leo.
Pode mostrar mais, gostei muito daquele que fez de um passeio há pouco tempo, está aí no bloguinho em algum post.