Roberval Pereyr




CANÇÃO - 1

Meu barco sou eu sem barco
no mar das dúbias viagens.
Nas noites em que não parto
enfrento monstros às margens
de mim prostrado no escuro.
Mas amanheço, não tardo
ao lado desta voragem
(tremor do ser, fria imagem)
que os deuses infelizardos
escavam nos homens puros.




3 comentários:

Salma disse...

lindo

Sonia disse...

Linda imagem!

darlene disse...

Melhor parar com essas viagens. e os monstros? To achando que faz parte do kit insonia...rs
Nem vou falar do tremor...

...rs...rs...rs
Soniaaaaaaaaaaa