Odir Milanez da Cunha






Amor Medroso

Há o amor que desespera
Rasgando-se aos pedaços
Como aquele sem abraços
Que entre cacos houvera.
Há amor rubro que impera
Na face do sonho ditoso,
No estriar mais ardoroso
De um sonho compartido:
Não há amor proibido,
Mas existe o amor medroso.


Image By: Jovan Charlton

4 comentários:

darlene disse...

Não conheço esse amor de versos e prosa: desesperado, fulminante arrebatador, dolorido e finito ou "enquanto dure'...
Se o amor não é simples e doce eu não o conheci.

Léo Scartezzine disse...

Concordo,Darlene.

Sonia disse...

Mas existe o amor medroso...rs, é o que diz o poema.

Léo Scartezzine disse...

Concordo também.